5.4.16

Golpe de 64



Os militares brasileiros, apoiados pelos Estados Unidos, realizaram o golpe de 64 pois viam na figura de João Goulart alguém perigoso pois este simpatizava-se com o regime instaurado em Cuba, instaurando assim a ditadura militar no Brasil.

Antecedentes:

João Goulart foi eleito democraticamente pelo Partido dos Trabalhadores do Brasil (PTB). Tinha uma política exterior independente dos EUA e havia nacionalizado uma subsidiária da ITT (empresa norte americana). Como seus feitos, podemos destacar também algumas coisas importantes em seu governo: nacionalizou o petróleo, as grandes propriedades de terra ociosas que estavam na mão de grandes latifundiários e aprovou uma lei que limitava a quantidade de benefícios que as multinacionais poderiam retirar do País.

Em 1964, um comício que foi organizado por Leonel Brizola e João Goulart na Central do Brasil, no Rio de Janeiro, serviu como estopim para o Golpe. Neste foram expostos algumas reformas que, com toda certeza, poderiam mudar o Brasil de maneira considerável. Dentre elas propunham um plebiscito pela convocação de uma nova constituinte, uma reforma agrária que distribuiria as terras ociosas do país aos mais carentes, e a nacionalização de refinarias estrangeiras.


Em meio a esse ambiente e a todas essas propostas, após uma reunião com Trabalhadores, em 1964, foi deposto e teve que fugir para o Rio Grande do Sul e em seguida para o Uruguai.
A tomada do poder:

Desta maneira, o maior Chefe do Exército Brasileiro, General Humberto Castelo Branco, tornou-se o Presidente do Brasil.

Verificamos então que as principais cidades brasileiras foram tomadas por soldados armados, tanques, jipes e etc. E todo veículo que poderia significar alguma resistência ao Golpe foi detonado. Podemos citar a sede da União Nacional dos Estudantes (UNE), que se localizava no Rio de Janeiro, e foi incendiada. As associações que apoiavam João Goulart também foram tomadas, dentre elas as sedes de partidos e os sindicatos em geral.




Papel da imprensa:

Cabe falar que este Golpe foi amplamente apoiado por grandes veículos de imprensa como o “O Globo”, “Jornal do Brasil” e o “Diário de Noticias”. Tais empresas tiveram uma grande importância na condução do Golpe, onde tentavam convencer, em suas reportagens, que Jango levaria o Brasil a um tipo de governo semelhante adotado na China e em Cuba, o Comunismo.

Em 1965, as liberdades civis foram reduzidas, o poder do governo aumentou e foi concedido ao Congresso escolher o Presidente e o Vice-Presidente da Republica do Brasil.

O regime militar durou até 1985, quando Tancredo Neves foi eleito, indiretamente, o primeiro presidente Civil Brasileiro desde 1964.

Por: Pedro Augusto Rezende Rodrigues

Fonte:http://www.coladaweb.com/historia-do-brasil/golpe-de-64
INTERCEPTOR G5

Clique na imagem do Youtube abaixo para ir direto ao canal.
Inscreva-se: