6.5.11

OS DIVERSOS CALENDÁRIOS DA HUMANIDADE

CALENDÁRIOS DA HUMANIDADE


No nosso planeta algumas civilizações já ultrapassaram o quarto ou quinto milénio, enquanto que outras ainda não chegaram ao segundo.
Durante a história da humanidade vários calendários foram criados e apagados do mapa. Calendários dos antigos egípcios, sumérios, maias, babilónios, astecas, entre muitos. A maioria deles tem as suas origens ligadas às religiões seguidas por cada civilização como marco da sua contagem, nos ciclos solares ou lunares.
Ao chegarmos ao ano 2011 da era cristã, esta data não diz nada a cerca de setenta por cento das pessoas do planeta. Mas em que ano estão ou estarão outras civilizações do século XXI em 2011? Quais os principais calendários existentes nos dias de hoje? Além do calendário cristão, ou gregoriano, temos o calendário judaico, o calendário muçulmano e o calendário chinês, cada um com momentos históricos diferentes e datas específicas. É diante de calendários tão distintos que percebemos que a humanidade é rica em tradições e culturas além da nossa civilização judaico-cristã.

Calendário Cristão

O calendário cristão teve o seu início no século VI, quando o abade Dionísio decidiu contar o tempo a partir do ano 1 do nascimento de Jesus Cristo. Até então a contagem era feita a partir da posse do imperador Diocleciano. Como Roma se tornara cristã e Diocleciano fora um feroz perseguidor do cristianismo, era incompatível continuar contando o tempo a partir da sua posse. Para descobrir a data do nascimento de Cristo, Dionísio tomou como marco a data registada da fundação de Roma. Contou os anos de todos o reinados romanos e chegou à conclusão de que se tinham passado 753 anos da fundação da cidade eterna ao nascimento de Cristo. Esta data define o ano 1 da era cristã. Mas estudos recentes apontam para um erro de quatro anos, provavelmente pelo esquecimento de contar o período que o imperador Augusto governou com o seu nome de baptismo, Octávio (de 27 a 31 a.C). O erro é confirmado pela morte de Herodes, segundo o historiador judeu Flavius Josephus, ocorrida no mês de um eclipse lunar, que para os astrónomos ocorreu no ano 4 a.C. Portanto, quando da passagem oficial para o ano 2011, estamos a entrar no ano 2015 da era cristã.
O calendário cristão tem as suas origens no antigo calendário romano, depois substituído pelo calendário juliano, no ano de 43 antes de Cristo, e finalmente substituído pelo calendário gregoriano, promulgado pelo Papa Gregório XIII, em 24 de fevereiro de 1582. Segue o ano solar, com 365 dias, 5 horas e 49 minutos, divididos em 12 meses. De quatro em quatro anos é acrescentado um dia em fevereiro, o chamado ano bissexto.

Meses Gregorianos

01 - Janeiro – 31 dias
02 - Fevereiro – 28 dias (29 em anos bissextos)
03 - Março – 31 dias
04 - Abril – 30 dias
05 - Maio – 31 dias
06 - Junho – 30 dias
07 - Julho – 31 dias
08 - Agosto – 31 dias
09 - Setembro – 30 dias
10 - Outubro – 31 dias
11 - Novembro – 30 dias
12 - Dezembro – 31 dias

O Calendário Judaico

O calendário judaico tem como ponto de partida, segundo a tradição hebraica, a criação do mundo. Para chegar a uma data concreta, o rabino Hai Gaon, judeu da Babilónia, que viveu no século XI, calculou o tempo de existência de vários personagens bíblicos. Somando-se as existências dessas figuras, Gaon chegou à conclusão que se passara 1949 anos desde a criação do universo até o nascimento do patriarca Abraão.
Diferente do calendário Gregoriano, este é um calendário baseado no movimento lunar. Cada mês é iniciado na lua nova. O ano lunar tem 12,4 meses, que gera uma diferença do calendário gregoriano de 11 dias a cada ano. Esta diferença é compensada ocasionalmente pelo acréscimo do mês de Adar II.
O primeiro mês do calendário judaico é o de Nissan, quando é feita a comemoração da Pessach (Páscoa Judaica).
Ao chegar ao ano de 2011, por volta de Setembro, o calendário judaico irá festejar a chegada do ano de 5772.

Meses Judaicos

01 - Nissan - 30 dias (Março - Abril)
02 - Iyar - 29 dias (Abril - Maio)
03 - Sivan - 30 dias (Maio - Junho)
04 - Tammuz - 29 dias (Junho - Julho)
05 - Av - 30 dias (Julho - Agosto)
06 - Elul - 29 dias (Agosto - Setembro)
07 - Tishrei - 30 dias (Setembro - Outubro)
08 - Heshvan - 29/30 dias (Outubro - Novembro)
09 - Kislev - 30/29 dias (Novembro - Dezembro)
10 - Tevet - 29 dias (Dezembro - Janeiro)
11 - Shevat - 30 dias (Janeiro - Fevereiro)
12 - Adar - 29/30 dias (Fevereiro - Março)
13 - Adar II - 29 dias (Março - Abril)


Calendário Hindu
Hinduísmo

O hinduísmo é a terceira maior religião do mundo com 12,8% de praticantes, tem o tempo dividido em yugas, cujo período diminui à medida que o tempo passa, numa metáfora do declínio da humanidade.

Actualmente, a Era Hindu está no último yunga - o mais degenerado - iniciado em 3102 a.C. e que terminará daqui a 432 mil anos.

O calendário hindu, criado em 1000 a.C. é hoje usado apenas para calcular datas religiosas, é dividido em 12 meses cuja soma fica em 354 dias. Para resolver a diferença, acrescenta-se um mês a cada 30 meses.

Calendário Muçulmano

Ao contrário dos calendários cristão e judaico, que não se sabe com precisão o dia e a data de quando se iniciou, no calendário muçulmano não há dúvidas de quando ele começou a ser contado. Começa a partir do dia em que o profeta Maomé deixou em fuga, a cidade natal de Meca (chamada de hégira – busca de protecção) e se estabeleceu em Medina, no dia 16 de Julho de 622.
É utilizado na maioria dos países islâmicos para o cálculo das festas religiosas e oficialmente por alguns países do Golfo Pérsico. Baseia-se no ano lunar de 354 dias, dividido em 12 meses de 29 ou 30 dias intercalados. Perfaz uma diferença de 11 dias em relação ao calendário gregoriano. Como esses dias não são corrigidos, geram uma diferença de 97 dias do calendário solar em cada século. Em 2011 o ano muçulmano atingirá o ano de 1432.

Meses Muçulmanos

01 - Muharram
02 - Safar
03 - Rabi al-Awwal
04 - Rabi ath-Thani
05 - Jumaada al-Awwal
06 - Jumaada al-Akhira
07 - Rajab
08 - Sha'aban
09 - Ramadan
10 - Shawwal
11 - Dhu al-Qidah
12 - Dhu al-Hija

Calendário Chinês

De todos os calendários em vigor, o mais antigo é o chinês. É um calendário tanto lunar, como solar. Cada ano apresenta doze lunações, ou 354 dias. Para se igualar ao calendário solar são acrescentados a cada oito anos 90 dias. Está dividido em ciclos de doze anos. Cada ano tem o nome de um animal e começa sempre em uma lua nova, entre 21 de Janeiro e 20 de Fevereiro.
Como não há uma era chinesa, os anos não são contados a partir de determinado acontecimento. Foram registadas diversas dinastias chinesas, que se contadas pelo calendário gregoriano, se deduz que o calendário dos animais é seguido desde 2636 antes de Cristo, o que faria de 2011 o ano de 4647 desse calendário.
Em 1912 a China adoptou oficialmente o calendário gregoriano, mas a população continua a seguir o sistema tradicional, sendo a comemoração de cada ano novo chinês a maior festa popular daquele país.

Ciclo Chinês

01 - Zi (Rato)
02 - Chou (Boi)
03 - Yin (Tigre)
04 - Mao (Coelho)
05 - Chen (Dragão)
06 - Si (Serpente)
07 - Wu (Cavalo)
08 - Wei (Carneiro)
09 - Shen (Macaco)
10 - You (Galo)
11 - Xu (Cachorro)
12 - Hai (Porco)Fontes:

http://www.mat.uc.pt/~helios/Mestre/H01orige.htm

Fonte: http://comunidade.sol.pt/blogs/olindagil/default.aspx