25.5.10

os habitantes das cavernas

O estereótipo do homem das cavernas é o de uma figura brutal, grosseira, fisicamente forte, mas pouco inteligente. Cabeludos e carrancudos, comunicando-se através de gestos e grunhidos rudes, os habitantes das cavernas normalmente são vistos em filmes e programas de TV, que não se preocupam muito com a exatidão antropológica.

Quem eram os verdadeiros habitantes das cavernas? Os homens das cavernas realmente existiram, embora não nos moldes de Hollywood (em inglês). Os homens primitivos e espécies semelhantes ao ser humano usavam as cavernas como abrigo e o pouco que sabemos sobre eles é resultado do que deixaram marcado nos próprios lugares onde viveram.

Homem das cavernas

istockphotos/Klaus Nikesn

'Ferreiros' da Idade da Pedra

Cientistas descobriram que nossos ancestrais pré-históricos começaram a usar o fogo para produzir ferramentas há pelo menos 72.000 anos - uma diferença de mais de 45.000 anos em relação à antiga teoria.

Leia mais em VEJA.com

Por muito tempo, os cientistas discutiram o papel que as cavernas tiveram no desenvolvimento dos homens primitivos. Nunca saberemos a história completa, mas podemos definir alguns aspectos da vida pré-histórica dos habitantes das cavernas por meio de locais arqueológicos, como Lascaux. Dentro dessa famosa caverna na França (em inglês), há uma coleção de incríveis pinturas que mostram uma vida simbólica, possivelmente religiosa, dos homens primitivos.

Mas as moradias em cavernas não se limitaram às espécies primitivas - algumas cavernas foram ocupadas por milhares de anos, mesmo nos tempos modernos. Algumas pessoas, ainda hoje, preferem viver em casas construídas em cavernas, pois são eficientes, resistentes e ecologicamente corretas.

Como seria viver em uma caverna? Por que alguém moraria em uma e o que os arqueólogos encontraram preservado dentro delas? Vamos explorar as vantagens e desvantagens da vida na caverna e visitar as moradias nas cavernas mais famosas do mundo.

A terrível história de Sawney Bean

Alexander "Sawney" Bean, supostamente, foi um canibal que viveu em uma caverna na Escócia, no século 17. Ele não cometeu atos sanguinários sozinho - sua esposa, além de 45 filhos e netos (a maioria fruto de incesto) também habitaram uma caverna isolada por 25 anos. Eles atacavam, matavam e comiam viajantes solitários. A perversidade chegou ao fim quando o rei da Escócia enviou um grupo de homens armados à caverna para capturar a família Bean, que foi executada [fonte: BBC (em inglês)].


Bem provável que essa fantástica história seja um mito, já que existem poucos relatos nas publicações locais. Não foi encontrado nenhum registro oficial que confirme a existência dessa família e a natureza aterrorizante do caso (sem falar do envolvimento direto do rei), certamente, teria deixado mais evidências concretas.

Os verdadeiros homens das cavernas

Sabemos que as pessoas das cavernas existiram - homens primitivos e outras espécies relacionadas a humanos habitavam cavernas. A questão é: que importância as moradias nas cavernas tinham para essas pessoas primitivas? Provavelmente nunca saberemos, pois elas não deixaram registros históricos, exceto algumas pinturas nas cavernas e alguns objetos. Entretanto, o consenso geral entre antropólogos e arqueólogos é que as cavernas raramente serviam de moradia permanente. Podem ter servido de abrigo sazonal ou local para acampamento temporário de grupos nômades que iam de um lugar para outro, seguindo os rebanhos que caçavam para servir de alimento.

Algumas espécies pré-humanas ou semelhantes ao ser humano que podem ter vivido em cavernas incluem oHomo antecessor, o Homo neanderthalensis (homem de Neandertal), oHomo erectus e o Homo heidelbergensis. Os homens primitivos, Homo sapiens, também usavam as cavernas de forma esporádica. Vivendo como caçadores-coletores, essas espécies não estabeleciam moradias permanentes. Tinham várias maneiras de construir abrigos, estirando peles de animais sobre ossos, construindo barracos de madeira ou criando montes de terra. Quando encontravam uma caverna apropriada para abrigo, usavam-na.

As cavernas mais comuns do mundo são feitas de calcário, desgastado pelaágua ácida. Embora existam milhões de cavernas, muitas são impróprias para abrigo. A entrada pode ficar no lado inacessível de um penhasco ou pode ser um longo buraco vertical. O terreno ao redor geralmente impede a visão da entrada para observadores casuais, motivo pelo qual muitas cavernas anteriormente habitadas permaneceram escondidas até que os homens modernos as redescobriram. E não é só o lado externo que assusta - os interiores das cavernas raramente são lugares seguros. São cheios de fendas, ladeiras de pedregulhos; têm várias entradas e saídas, buracos e possíveis quedas de rochas. Basta andar algumas dezenas de metros a partir da entrada para que o local fique totalmente escuro. E sem ventilação natural, fica difícil respirar. Uma caverna própria para morar é realmente muito rara.

O que é um troglodita?

Troglodita
é um termo usado como sinônimo para homem das cavernas. É uma palavra grega que, literalmente, significa "alguém que vive em um buraco ou debaixo da terra". Existem referências históricas e bíblicas de uma tribo de pessoas na costa oeste da África que vivia em cavernas - Troglodyti ou Troglodytae.

Os homens de Neandertal são uma espécie específica - conhecida por gostar de viver em cavernas - que existiu em uma grande área da Europa durante o período glacial. O clima severo os forçou a serem adaptáveis e criativos. Os arqueólogos acreditam que eles usavam duas estratégias principais:
mobilidade ambulante e mobilidade divergente. Com a mobilidade ambulante, cada grupo de homens tinha vários acampamentos temporários, alguns incluindo cavernas, espalhadas por uma região. Eles iam de um lugar para outro em busca de terras melhores para caçar. Com a mobilidade divergente, o grupo tinha um acampamento central. Os grupos de caça saíam do acampamento, indo cada vez mais longe à procura de comida. Em alguns casos, esses acampamentos principais eram cavernas [fonte: Tattersall]. As cavernas atendiam às necessidades dos homens de Neandertal porque eles viviam em grupos muito pequenos (cerca de uma dúzia de pessoas). Algumas cavernas podiam suportar populações maiores. Existem evidências de que, em pelo menos um caso, os homens de Neandertal e os homens primitivos viveram na mesma caverna, ao mesmo tempo, e compartilharam recursos [fonte: Viegas (em inglês)].

Na próxima seção, veremos as evidências arqueológicas da vida pré-histórica nas cavernas - em particular, as pinturas.

A era dos habitantes das cavernas

A maioria das pessoas, quando fala dos homens das cavernas, pensa no Período
Paleolítico, às vezes, chamado de Idade da Pedra (que é realmente uma parte da Idade da Pedra). Estende-se de mais de 2 milhões de anos até entre 40 mil e 10 mil anos. Ironicamente, é provável que existam mais seres humanos vivendo permanentemente em cavernas hoje do que naquele período da história humana.

Pinturas e objetos nas cavernas

Muitos vestígios das sociedades paleolíticas foram encontrados em cavernas. Isso não significa que as pessoas passavam a maior parte do tempo nelas - o ambiente de uma caverna simplesmente protege esses vestígios contra erosão, corrosão e decomposição, permitindo que durem dezenas de milhares de anos. Mas nem todas as cavernas são tão úteis. As cavernas que possuem fontes de água em seu interior, conhecidas comocavernas ativas, tornam difícil determinar como era a vida no passado.Inundações e mudanças no curso da água espalham detritos, como ossos, fragmentos de pedras e instrumentos, por toda a caverna, geralmente a centenas de metros de onde foram deixados.

Até mesmo a arte das cavernas não está realmente restrita a elas. As cavernas conservam melhor a arte, mas pinturas de animais da Idade da Pedra também foram encontradas em rochas e penhascos pela África (em inglês) [fonte: Constable]. A caverna mais famosa do mundo é Lascaux, próxima a Montignac, na França (em inglês), que foi descoberta em 1940, e cuja entrada foi modificada posteriormente para criar uma passagem e pisos de alvenaria para os visitantes. Entretanto, a caverna foi fechada e o clima em seu interior foi controlado para evitar danos às pinturas, que são muito sensíveis aos flashes das câmeras e ao dióxido de carbono emitido pelas pessoas.

Homem das cavernas

istockphotos
Pinturas de animais em cavernas

Só nos resta especular sobre os propósitos das pinturas das cavernas encontradas em Lascaux e em outros locais. Elas podem ter feito parte de rituais religiosos, ter sido simples representações da vida que os habitantes das cavernas levavam, ou homenagens supersticiosas criadas na esperança de uma caça bem-sucedida. Uma coisa é certa: o principal tema dos homens das cavernas era a vida animal ao seu redor. A maior parte das imagens pintadas nas paredes das cavernas representa animais, principalmente os de rebanho, como búfalos (em inglês), cavalos (em inglês) e javalis (em inglês) [fonte: Aujoulat]. Algumas imagens parecem abstratas, representando padrões de linhas e pontos. Talvez fossem uma forma primitiva de calendário ou signo, ou uma representação de imagens vistas enquanto estavam inconscientes [fonte: Price (em inglês)]. Também é interessante considerar o que não era representado pela arte das cavernas: pouquíssimas árvores ou outra vegetação e algumas imagens de humanos. Não temos a menor idéia do motivo pelo qual eles ignoravam esses temas.

As pinturas das cavernas, particularmente as de Lascaux, são muito detalhadas. Algumas delas representam animais grandes, quase do tamanho natural. Os principais pigmentos usados eram óxido de ferro para vermelho e manganês para preto. O ocre criava uma variedade de tons amarelos ou alaranjados. Os habitantes das cavernas aplicavam a tinta soprando por um tubo ou diretamente pela boca. Também usavam pincéis feitos de pêlos de animais ou de materiais de plantas, além dos próprios dedos, pedras e outros instrumentos [fonte: Aujoulat]. Às vezes, as imagens eram esculpidas, além de pintadas. Muitas pinturas eram feitas no fundo da caverna com ajuda de tochas e de lamparinas. As lamparinas eram pedaços de pedra com uma alça em uma extremidade e um buraco na outra. Um pedaço de gorduraanimal era colocado no buraco e acendido com brasa [fonte: Aujoulat].

Além das pinturas, foram encontrados também outros objetos no interior das cavernas que fornecem pistas de como essas pessoas viviam. Eles faziam jóias e entalhavam pequenos objetos de osso ou de marfim (e provavelmente de madeira, embora nenhum tenha sido encontrado). Algumas culturas enterravam seus mortos com esses objetos, sugerindo algum tipo de crença religiosa ou crença em vida após a morte.

Algumas pessoas ainda vivem em cavernas, hoje em dia. Saberemos onde e por que na próxima seção.

Defesa das cavernas

As cavernas definitivamente protegiam seus habitantes contra o mau tempo e, provavelmente, contra muitos animais perigosos. Muitos animais simplesmente não entravam nas cavernas, embora os ursos certamente tivessem sido um problema. Mas e quanto à proteção contra outros habitantes de cavernas? Acontece que isso não era problema. Durante o período Paleolítico, a violência sistemática era extremamente rara. Havia conflitos entre os grupos, mas a regra era a cooperação. As cavernas bem escondidas provavelmente eram benéficas, mas não precisavam ser fortalezas.