23.12.10

História do Tanque de Guerra - Primeira Guerra


Primeira Guerra Mundial

As condições de luta na frente ocidental incitaram o Exército Britânico a começar a investigação de um veículo que pudesse atravessar as trinceiras, derrubar barreiras e que fosse impenetrável ao fogo das metrelhadoras. Após ter visto o Rolls Royce blindado utilizadado pela Royal Naval Air Service em 1914, e conhecedor dos esquemas para criar um veículo de combate com tracção de lagartas, o Primeiro Lord do Almirantado, Winston Churchill patrocinou um comité, o Landships Committe, para supervisionar o desenvolvimento desta nova arma.

Sob a direcção do Coronel Ernest Swinton, o Landships Committe criou o primeiro protótipo com êxito, chamado de Little Willie, que foi testado pelo Exército Britânico em 6 de Stembro de 1915. Inicialmente chamaram-se barcos de terra(landship), os primeiros veículos coloquialmente foram designados de transportes de água e mais tarde tanques, para mantê-los em segredo.

Little Willie

A palavra tanque foi utilizada para dar a impressão aos trabalhadores de que estavam construindo contentores de água móveis para o Exército Britânico na Mesopotamia, e tomou carácter oficial a 24 de Dezembro de 1915.
O primeiro caso de tanque operativo aconteceu quando o Capitão H.W. Mortimore, da Royal Navy, levou um MarkI a combate durante a Batalha do Somme, em 15 de Setembro de 1916.

MarkI

Os franceses desenvolveram o Schneider CA1 que foi utilizado pela primeira vez em 16 de Abril de 1917.
File:Schneider CA1 (M16) tank.jpg
Schneider CA1





A primeira vez que se empregaram tanques massivamente durante um combate foi na Batalha de Cambrai, em 20 de Novembro de 1917.
Ficheiro:Bundesarchiv Bild 104-0941A, Bei Cambrai, zerstörter englischer Panzer Mark I.jpg
O carro de combate deixaria finalmente a guerra de trincheiras obsoleta, e os milhares de tanques que se utilizaram na guerra pelas forças britânicas e francesas realizaram uma contribuição significativa.
Os resultados iniciais com os tanques eram variados: os problemas de fiabilidade causavam um desgaste considerável em combate. A sua utilização em pequenos grupos também diminuiu o seu valor e impacto táctico.
As forças alemãs sofreram o choque e não tinham armas contra os tanques, mas acidentalmente descobriram a munição anti-tanque e o uso de trincheiras mais fundas para limitar a mobilidade dos tanques britânicos.


A Evolução das condições no campo de batalha e a falta de fiabilidade continuada forçaram os tanques aliados a continuar o seu aperfeiçoamento durante o resto da guerra, produzindo-se novos modelos como o Mark V, que podiam abrir passagem atrave´s de obstáculos maiores, especialmente trincheiras mais amplas.
A Alemanha apresentou uma pequena quantidade de tanques, principalmente capturados, durante a Primeira Guerra Mundial. Só chegaram a produzir aproximadamaente vinte tanque de seu próprio desenho, o Sturmpanzerwagen A7V.
Sturmpanzerwagen A7V.

Sturmpanzerwagen A7V.


Os Tanques da Primeira Guerra Mundial
ModeloArmamentoblindagem
(max)
Peso
(tonnes)
Velocidade
(mph)
Tripulação
Mks I-IV Male 2x 6-pounders
4x MG
12mm 28 3.7 8
Mks I-III Female 5 x mg 12mm 27 3.7 8
Mk IV Female 6 x mg 12mm 27 3.7 8
Mk V Male 2x 6-pounders, 4x MG 14mm 29 4.6 8
Mk V Female 6 x mg 14mm 28 4.6 8
Medium Mk A (Whippet) 4 x mg 14mm 14 8.3 3
Medium Mk B 4 x mg 14mm 18 7.9 4
Schneider 1 x 75mm gun, 2 x mg 11.4-17mm 14½ 5 6
St. Chamond 1 x 75mm gun, 4 x mg 11mm 24 5 9
Renault FT17 1 mg, later 1x 37mm gun 16mm 5-6 2
A7V 1 x 5.7cm, 6 x mg 30mm 32 8 16
Fonte: internet